sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

MENSAGEM: ESTÁ PRECISANDO DE AJUDA?, SEGUNDO CANELAS

ESTÁ PRECISANDO DE AJUDA?

(Por Daniel Canelas, do Blog: http://falandosobrejesusblog.blogspot.com.br/ )


Image result for ajuda

Jesus Cristo, após ser chicoteado, cuspido, recebido murros, socos e uma coroa de espinhos, foi obrigado a carregar uma pesada cruz até Gólgota, onde seria crucificado. No meio tempo de sua caminhada até o local de sua crucificação, Cristo recebeu de um desconhecido uma ajuda para carregar a sua pesada cruz.

No Evangelho de Mateus, Simão o Cireneu, é impelido pelos soldados romanos a ajudar Jesus Cristo a carregar sua cruz. O próprio Jesus necessitou de ajuda e quando a recebeu não a negou. Sendo cem por cento Deus e cem por cento homem, era necessário demonstrar-nos a sua humanidade e como lidava com ela, dando-nos o exemplo de como também devemos lidar.

Ele não foi fraco ao reconhecer que precisava de ajuda, ele estava sujeito a mesma humanidade que hoje estamos. É de extrema importância reconhecermos que também precisamos de ajuda. Não somos auto suficientes, muito pelo contrário, assim como o Apostolo Paulo nos ensina, fazemos parte de um corpo, e dentro deste corpo há vários órgãos que necessitam um do outro.

É necessário aprendermos a dividirmos nossos fardos. Muitas vezes a melhor forma de amenizar a sua dor é simplesmente conversar com um amigo, e compartilhar os fardos da vida, chorar se for preciso e relevar quanto ao que não podemos mudar.

Uma das idéias de unidade que Cristo nos ensina é da comunhão. Quando estamos juntos com pessoas que amamos é impossível não sermos edificados. É ao redor destas pessoas que somos ajudados e curados das dores mais profundas que muitas vezes são causadas pelo desprezo, solidão e medo.

Não tenha medo em aceitar ajuda ou de pedir por ela. Assim como Jesus aceitou ser ajudado, nós também devemos seguir pelos mesmos passos. Simão o Cireneu, mesmo que impelido, não recusou em ajudar, assim também, devemos estar dispostos em ajudar a dividir os fardos e as cruzes uns dos outros.

"Vejo Suas pegadas no chão, e logo percebo que meus caminhos são confirmados pelos Seus passos. Sigo por eles pois sei que me levará a seu Reino de Amor."

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

REFLEXÃO: PRECE, SEGUNDO CALCUTÁ

Prece
(Madre Teresa de Calcutá)

Image result for PRECE

"Que a paz esteja dentro de você hoje. 
Que você creia estar exatamente
onde você deve estar. 
Que você acredite nas infinitas
possibilidades que nascem do destino. 
Que você usufrua as graças que recebeu e
passe adiante o amor que lhe foi dado. 
Que você seja feliz sabendo que é um filho de Deus. 
Que você deixe a presença de Deus entrar em teu corpo
e permita à tua alma a liberdade de cantar,
dançar, orgulhar-se e amar. 
Ele está lá, para cada um de nós".

AÇÃO SOCIAL: MAMAS DO AMOR, PARA MULHERES MASTECTOMIZADAS

AÇÃO SOCIAL: MAMAS DO AMOR
(Por Patrícia Trasmontano, Blog Gera Saúde. Adaptado do Mamasdoamor.com)
Image result for mamas do amor
Traga sorrisos para quem passou pelo procedimento de mastectomia 
(retirada da mama), e não tem condições financeiras para realizar 
uma reconstrução com próteses de silicone.

A partir de meias, alpiste e camisinha, 
é possível fazer próteses externas. 

Confira mais:



O QUE SÃO AS MAMAS DO AMOR?


Doação de próteses externas, para mamas, feitas com alpiste e meias de poliamida da cor natural para mulheres mastectomizadas, cujas mamas não foram reconstruídas através de processo cirúrgico.
QUER AJUDAR? O QUE NECESSITAMOS?
Doações de meias ¾ femininas fio 20 ou 40 e alpiste.

PARA QUEM INTERESSA O PROJETO MAMAS DO AMOR?


O projeto interessa às mulheres brasileiras mastectomizadas que não possuem prótese interna, ou não tiveram acesso à reconstrução de mamas através de processo cirúrgico.
PEÇA AS SUAS: COMO FAZER O PEDIDO?
Para solicitar as Mamas do Amor enviar um email para contato@mamasdoamor.com.br com o tamanho do bojo do seu sutiã (fazemos nºs 40, 42, 44, 46 e 48) e o endereço de entrega completo , além de preencher uma ficha-cadastro para receber as novidades do projeto.
QUAL O TEMPO DE PRODUÇÃO E ENTREGA?
Dez dias úteis da confirmação do pedido e poderão ser entregues pessoalmente ou pelo correio (sedex à cobrar). 
As doações poderão ser feitas por meio de material, alpiste e meias ¾ fio 20 ou 40, a serem entregues à: Alameda Santos, 2359bairro Cerqueira CésarSão Paulo/ SP – Brasil. CEP:01419-010. Escreva na etiqueta: Projeto Mamas do Amor”.

Acesse: http://mamasdoamor.com.br/

Venha fazer parte desta nobre campanha 
e compartilhe esta ideia!!!

NOTÍCIA: CALENDÁRIO VACINAL BRASILEIRO DE 2017

CALENDÁRIO DE IMUNIZAÇÃO BRASILEIRO PARA O ANO 2017
(Por Patrícia Trasmontano, Blog Gera Saúde. Adaptado de PEBMED.com e Ministério da Saúde) 



Image result for VACINAÇÃO
Prezado leitor, 

Fique de olho no calendário vacinal brasileiro deste ano de 2017, que diferente do ano de 2016, apresenta modificações...

Confira como está o esquema vacinal de todos os que residem contigo, e lembre de compartilhar com os amigos. É interessante, aos que viajarem ou vierem residir no Brasil, comparar os esquemas de acordo com o País de origem.

Abaixo, apresento o esquema para crianças, jovens, adultos e idosos.

Vamos prevenir!!! 



Idade
Vacinas
Ao nascer
BCG (tuberculose): dose única
– HB (Hepatite B): 1ª dose

2 meses
Pentavalente: 1ª dose (DTP "difteria, tétano, coqueluche" + Hib "meningite e Haemophilus influenzae tipo b + HB "Hepatite B"), sendo Tetravalente "1ª dose"  + Hepatite B "2ª dose"
– VIP "Poliomielite (paralisia infantil)": 1ª dose 
Pneumocócica conjugada/10 valente (doenças invasivas e otite): 1ª dose
– VORH "Rotavírus (diarréia)": 1ª dose

3 meses
Meningocócica C conjugada (doenças invasivas): 1ª dose

4 meses
Pentavalente: 2ª dose, sendo (Tetravalente "2ª dose" + Hepatite B "3ª dose")
– VIP "Inativada Poliomielite": 2ª dose
Pneumocócica conjugada/10 valente: 2ª dose
– VORH "Rotavírus": 2ª dose

5 meses
Meningocócica C conjugada: 2ª dose

6 meses
Pentavalente: 3ª dose, sendo (Tetravalente "3ª dose" + Hepatite B "4ª dose")
– VIP "Inativada Poliomielite": 3ª dose 

9 meses
Febre Amarela: dose inicial

12 meses
Pneumocócica conjugada: reforço
Meningocócica C conjugada: reforço
– SRC "Tríplice Viral" (sarampo, caxumba e rubéola): 1ª dose

15 meses
DTP "Tríplice Bacteriana (difteria, tétano, coqueluche)": 1º reforço (incluída na pentavalente)
– VOP "oral Poliomielite": 1º reforço
Hepatite A (1 dose de 15 até 23 meses): dose única
– SCRV "Tetra viral": dose única, sendo (SRC Tríplice Viral "2ª dose" + Varicela "dose única")

4 anos
DTP "Tríplice Bacteriana":  2º reforço (incluída na pentavalente)
– VOP "oral Poliomielite": 2º reforço
Febre amarela: reforço

9-14 anos
HPV (infecções pelo Papilomavírus Humano): 2 doses*
Meningocócica C: reforço ou dose única**

Adolescentes, Adultos e Idosos
Hepatite B: 3 doses a depender da situação vacinal
Febre Amarela: 1 dose a cada 10 anos
Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola): 2 doses até os 29 anos ou 1 dose em > 30 anos. Idade máxima "49 anos"
DT (Difteria e Tétano): Reforço a cada 10 anos
dTpa "Tríplice Bacteriana Acelular" : para gestantes a partir da 20ª semana, que perderam a oportunidade de serem vacinadas***

OBSERVAÇÕES:

- Hepatite B:  oferta da vacina para toda a população independente da idade e/ou condições de vulnerabilidade, justificada pelo aumento da frequência de atividade sexual em idosos e do aumento de DST nesta população.

- Poliomielite:  A 3ª dose é a vacina inativada da polio (VIP), a exemplo do que já ocorre com as 1ª e 2ª doses da vacina. As doses de reforço aos 15 meses e 4 anos e as campanhas de vacinação continuam aplicando a vacina VOP (bivalente).

- Pneumocócica:  Esquema básico com duas doses (aos 2 e 4 meses) e dose de reforço aos 12 meses (podendo ser aplicada até os 4 anos). Crianças não vacinadas anteriormente podem receber dose única dos 12 meses aos 4 anos.

- Hepatite A:  Aplicada aos 15 meses, podendo ser aplicada até os 23 meses. Em crianças de 2 a 4 anos, administrar uma dose de vacina apenas nas que perderam a oportunidade de serem vacinadas anteriormente.

- Vacinas tríplice viral e varicela:  Ministério passa a disponibilizar duas doses de vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) para pessoas de 12 meses até 29 anos de idade e uma dose da vacina varicela (atenuada) para crianças até quatro anos de idade.

*HPV: Esquema básico com duas doses com 6 meses de intervalo em meninas de 9 a 14 anos e meninos de 12 a 13 anos. A vacina HPV passa a estar disponível nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais – CRIE para indivíduos imunodeprimidos (indivíduos submetidos a transplantes de órgãos sólidos, transplantes de medula óssea ou pacientes oncológicos), que deverão receber o esquema de 3 (três) doses (0, 2 e 6 meses) para ambos os sexos, nas faixas etárias entre 9 e 26 anos de idade. Os homens de 14 a 26 anos de idade vivendo com HIV/Aids também passam a ser contemplados.

**Meningocócica: Esquema básico com duas doses (aos 3 e 5 meses) e dose de reforço aos 12 meses (podendo ser aplicada até os 4 anos). Crianças não vacinadas anteriormente podem receber dose única dos 12 meses aos 4 anos. O Ministério passa a disponibilizar a vacina conjugada para adolescentes de 12 a 13 anos. A faixa-etária será ampliada, gradativamente, até 2020, quando serão incluídos crianças e adolescentes com 9 anos até 13 anos.

***dTpa: 1 (uma) dose a partir da 20ª semana de gestação, para aquelas que perderam a oportunidade de serem vacinadas durante a gestação. Administrar uma dose no puerpério, o mais precocemente possível.

Saiba mais no Portal Saúde, do Ministério da Saúde brasileiro:

 http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-mais-o-ministerio/197-secretaria-svs/13600-calendario-nacional-de-vacinacao

ARTIGO: CONHEÇA MAIS SOBRE A FEBRE AMARELA

Febre amarela: sintomas, transmissão e prevenção

(Fonte: Bio-Manguinhos/ FIOCRUZ)


Image result for febre amarela

Sintomas

A febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por vetores. Geralmente, quem contrai este vírus não chega a apresentar sintomas ou os mesmos são muito fracos. As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso. A maioria dos infectados se recupera bem e adquire imunização permanente contra a febre amarela.

Transmissão

A febre amarela ocorre nas Américas do Sul e Central, além de em alguns países da África e é transmitida por mosquitos em áreas urbanas ou silvestres. Sua manifestação é idêntica em ambos os casos de transmissão, pois o vírus e a evolução clínica são os mesmos — a diferença está apenas nos transmissores. No ciclo silvestre, em áreas florestais, o vetor da febre amarela é principalmente o mosquito Haemagogus. Já no meio urbano, a transmissão se dá através do mosquito Aedes aegypti (o mesmo da dengue). A infecção acontece quando uma pessoa que nunca tenha contraído a febre amarela ou tomado a vacina contra ela circula em áreas florestais e é picada por um mosquito infectado. Ao contrair a doença, a pessoa pode se tornar fonte de infecção para o Aedes aegypti no meio urbano. Além do homem, a infecção pelo vírus também pode acometer outros vertebrados. Os macacos podem desenvolver a febre amarela silvestre de forma inaparente, mas ter a quantidade de vírus suficiente para infectar mosquitos. Uma pessoa não transmite a doença diretamente para outra.

Prevenção


Como a transmissão urbana da febre amarela só é possível através da picada de mosquitos Aedes aegypti, a prevenção da doença deve ser feita evitando sua disseminação. Os mosquitos criam-se na água e proliferam-se dentro dos domicílios e suas adjacências. Qualquer recipiente como caixas d'água, latas e pneus contendo água limpa são ambientes ideais para que a fêmea do mosquito ponha seus ovos, de onde nascerão larvas que, após desenvolverem-se na água, se tornarão novos mosquitos. Portanto, deve-se evitar o acúmulo de água parada em recipientes destampados. Para eliminar o mosquito adulto, em caso de epidemia de dengue ou febre amarela, deve-se fazer a aplicação de inseticida através do "fumacê”. Além disso, devem ser tomadas medidas de proteção individual, como a vacinação contra a febre amarela, especialmente para aqueles que moram ou vão viajar para áreas com indícios da doença. Outras medidas preventivas são o uso de repelente de insetos, mosquiteiros e roupas que cubram todo o corpo.

Image result for febre amarela